03 Agosto
Por
G1

Saiba as vantagens da amamentação para mães e bebês

De 1 a 7 de agosto, celebra-se a Semana Mundial de Aleitamento Materno, que este ano tem

como tema "Amamentação: Uma chave para o Desenvolvimento Sustentável".

O objetivo da ação é promover o aleitamento materno de maneira ampla, pois além dos benefícios já conhecidos que a prática traz à saúde da mãe e do bebê, o aleitamento também tem impacto econômico, social e ambiental. Mães que amamentam bebês no peito possuem vantagens, segundo médicos e especialistas.

- As mães que amamentam sentem frequentemente mais autoconfiança e melhor adaptação aos seus bebés

- Dar o peito ajuda a mulher a recuperar a silhueta normal, pois consome até 800 calorias por dia

- O leite materno está sempre disponível e poupa tempo e dinheiro

- Não desperdiça recursos naturais e está sempre pronto para ser transportado e ingerido

- Os bebés amamentados são mais saudáveis, o que reduz o absentismo das mães no local de trabalho

- Amamentar atrasa o regresso da fertilidade

- Amamentar reduz as hemorragias pós-parto e o risco de anemia

- A amamentação tem um efeito protetor contra o câncer de mama e de ovário e contra a osteoporose

- A amamentação reduz o risco da mulher desenvolver síndrome metabólica (doenças cardíacas e diabetes) após a gravidez, inclusive para quem teve diabetes gestacional

A amamentação também protege contra doenças cardiovasculares: uma pesquisa com 140 mil mulheres no período pós-menopausa (média de 63 anos), indicou que as que amamentaram por mais de um ano tiveram 10% menos risco de sofrer com essas doenças, se comparado com aquelas que nunca amamentaram.

Benefícios para o bebê

- O leite materno é o alimento mais completo e equilibrado, pois atende a todas as necessidades de nutrientes e sais minerais da criança até os 6 meses de idade

- Fácil de ser digerido, provoca menos cólicas nos bebês

- Colabora para a formação do sistema imunológico da criança, previne alergias, obesidade e intolerância ao glúten

- Contém uma molécula responsável por proteger e reparar o intestino delicado dos recém- nascidos

- Previne a anemia

- A sucção ajuda no desenvolvimento da arcada dentária do bebê

Quando o ômega 3 está presente no leite materno, o que varia de mulher para mulher de acordo com sua alimentação, ele ajuda no desenvolvimento e crescimento dos prematuros nos primeiros meses de vida. Bebês que mamam exclusivamente no peito até os seis meses têm menos risco de desenvolver asma e artrite reumatoide e recebem uma proteína que combate vírus e bactérias do trato gastrointestinal. 

O momento da amamentação também aumenta o vínculo entre mãe e filho e colabora para que a criança se relacione melhor com outras pessoas.

Voltar

Outras Notícias

29 de Outubro de 2015

Unimed apresenta plano especial para empresas na Casa Mix

24 de Fevereiro de 2016

Novo exame de sangue detecta problemas cardíacos "ocultos"

28 de Novembro de 2017

Menstruação na gravidez é sinal de alerta